O UMM mais remoto da Europa

Antecedentes deste UMM

É na costa Ocidental da Ilha das Flores que ocorre o último pôr-do-sol da Europa. Foi a essa hora que o conservador de lendários UMMs ali avistou um Alter II de 1988, dos quase nenhuns UMMs existentes nessa mais remota terra habitada da República Portuguesa.

A bordo do lendário, andava uma família anglófona de viajantes profissionais, que tinham assentado base naquela ilha, após dar a volta ao Mundo num veleiro. A família sonhava já com a próxima aventura – dar a volta ao deserto do Sahara com o UMM – mas o lendário acusava carências inerentes à escassez de recursos nessa ultra-periférica região, assim como a fadiga dos materiais própria da idade, agravada pelas tempestades e a humidade salgada que assolam aquelas paragens.

Vida deste UMM na coleção

Após partilha de um porta-chaves UMM e umas boas conversas, ficou decidido – o lendário atravessaria o Atlântico para ser restaurado com os recursos da coleção Lendários UMM.

Profissionais, voluntários e demais amigos dos UMMs, foram sensibilizados para as necessidades especiais da vida deste UMM a que a boa-vontade local Açoreana não bastava para atender. Durante meio ano, com espírito colaborativo de todos, o UMM voltou a ser mimado com as melhores peças e soluções de origem, tal como quando nasceu nesta região.

Novamente com aquele fulgor dos tempos em que nós e o UMM eramos jovens, este lendário ficou a postos para mais Mundo com a sua família de viajantes profissionais.